[2º ano] Filosofia: Lista de Exercícios

quinta-feira, 6 de junho de 2013

| | |


Lista de Exercícios de Filosofia – 2ª série – Profª Karoline Rodrigues de Melo



As questões discursivas deverão ser respondidas no caderno!



1. Explique os argumentos

A) do erro dos sentidos;

B) do sonho;

C) do deus enganador e;

D) do gênio maligno.



2. Explique de que forma Descartes chega a sua primeira certeza, o cogito.



3. Que razões levaram Descartes a rejeitar os conhecimentos provenientes dos sentidos?



4. Por que, para Descartes, o cogito é a primeira certeza, o primeiro conhecimento considerado indubitável?



5. Mostre que relação se estabelece entre exercício da dúvida e procura da verdade em Descartes.



6. A respeito da filosofia de René Descartes e seus conceitos, faça a somatória das afirmativas corretas:

01)Ele busca um novo método para conhecer a realidade, uma vez que, aquilo que ela havia aprendido fora sustentado sobre opiniões duvidosas.

02)O argumento do gênio maligno explica a crença que o filósofo tinha na existência de um ser capaz de enganá-lo inclusive quanto aos conhecimentos que parecem ser mais evidentes, como os da matemática, fazendo-o acreditar que, por exemplo, 2+2=4 sendo que na verdade não o é.

04)O exercício da dúvida metódica ou hiperbólica é um método cartesiano que busca refletir sobre tudo o que ele conhecia e pensava ser verdadeiro para verificar se eles realmente eram.

08)O conhecimento originário dos sentidos não eram completamente confiáveis, pois eles muitas vezes nos enganam.

16)Descartes inaugura a Filosofia Moderna com o Racionalismo, uma corrente filosófica que pretende atingir o conhecimento exclusivamente por meio da razão.

32)Descartes afirma que não é prudente se fiar inteiramente em quem já nos enganou uma vez.                   Somatória: __________



7. É a corrente filosófica que iniciou com a definição do raciocínio, que é a operação mental, discursiva e lógica. Este usa uma ou mais proposições para extrair conclusões se uma ou outra proposição é verdadeira, falsa ou provável. Tem como principal representante da modernidade o filósofo Descartes:

A) Empirismo.          B) Racionalismo.

C) Inatismo.           D) Experiência.



8. René Descartes foi um filósofo, físico e matemático francês do século XVI. Descartes, por vezes chamado de "o fundador da filosofia moderna" e o "pai da matemática moderna", é considerado um dos pensadores mais importantes e influentes da História do Pensamento Ocidental. Assinale a alternativa que mais se relaciona ao título de fundador da filosofia moderna atribuído a esse filósofo:

A)É considerado o fundador da filosofia moderna por causa dos seus argumentos do Deus enganador e do gênio maligno.

B)É considerado o fundador da filosofia moderna por suspeitar dos conhecimentos vindos dos sentidos.

C)É considerado o fundador da filosofia moderna pois discordava das concepções tomista-aristótelicas.

D)É considerado o fundador da filosofia moderna, pois decidiu buscar a ciência por conta própria. Procurou criar um método investigativo que pudesse identificar o verdadeiro conhecimento, conseguido através do trabalho lógico da mente.



9. É amplamente conhecido, na história da filosofia, como Descartes coloca em dúvida todo o conhecimento, até encontrar um fundamento inabalável; uma espécie de princípio de reconstituição do conhecimento. Neste processo, Descartes elege uma regra metodológica que o orientará na busca de novas verdades. A regra geral que orientará Descartes na busca de novas verdades é:

A) Clareza e distinção.

B) A possibilidade do mundo externo.

C) A possibilidade de unirmos corpo e alma.

D) A certeza dos juízos matemáticos.



10.  Processo de questionamento sobre tudo o que René Descartes pensava até então ser verdadeiro:

A)Plano cartesiano.   B)Teoria das ideias.

C)Duvida metódica.  D)Exercício hiperbólico.



11.  A respeito da tentativa de Descartes de criar um novo método para o conhecimento, analise as afirmativas e faça a somatória somente das corretas:

01) O argumento do Cogito é utilizado por Descartes em suas Meditações na tentativa de fundamentar sua Teoria do Conhecimento.

02) Descartes pretende chegar a um fundamento de sua Teoria do Conhecimento, que seja o mais evidente e verdadeiro possível. Para isso, ele se utiliza de um artifício para levar a cabo seu trabalho: o princípio da dúvida (Duvidoso=falso).

04)Ao percorrer suas Meditações, Descartes descarta a experiência como fundamento do conhecimento através do Argumento do Erro dos Sentidos.

08)Rejeita também a sensação interna, de coisas imediatas, como a própria existência, utilizando-se do Argumento do Sonho.

16) Galileu, que diz que a base para o conhecimento está nas verdades matemáticas, é refutado também por Descartes através do Argumento do Deus Enganador.

32)Descartes cria o argumento do gênio maligno, criando a possibilidade de estar enganado até em relação as verdades matemáticas. Trata-se de um artifício psicológico, para deixar a sua consciência atenta a tudo que dizem ser verdadeiro.    Somatória:_____



12.  É a postulação de que o ato de sonhar providencia evidência preliminar de que os sentidos através dos quais confiamos para distinguir realidade de ilusão não devem ser plenamente confiáveis, e como tal, qualquer estado que dependa dos sentidos devem ser, no mínimo, cuidadosamente examinados e testados com rigor para determinar se algo é de fato real. A este argumento de Descartes, damos o nome de argumento do:

A)erro dos sentidos.        B)gênio maligno.

C)deus enganador.           D)do sonho.



13.  A respeito da Dúvida Metódica de Descartes, observe as afirmativas e faça a somatória apenas das corretas:

01)É chamada de metódica, pois faz parte de um método que procura o conhecimento verdadeiro.

02)É provisória, temporária, pois pretende-se ultrapassá-la e chegar à verdade.

04)É chamada de hiperbólica, exagerada propositadamente, para que nada lhe escape.

08)É radical, pois incide sobre os fundamentos, as bases de todo o conhecimento.

16)É um exercício voluntário e autônomo, pois não é imposta, é uma iniciativa pessoal.

32) A dúvida irá conduzir a razão a uma primeira verdade incontestável: o cogito.

Somatória: _______



14.  O que levou Descartes a duvidar dos conhecimentos provenientes dos sentidos?

A)Ele afirma que os sentidos nos enganam constantemente, de forma que não é prudente confiarmos em algo que nos enganou alguma vez, nem aceitar como fundamento um tipo de conhecimento passível de erros.

B)Ele duvidou do conhecimento sensível, pois aprendeu desde cedo a valorizar o conhecimento matemático, que é para ele eterno.

C)Duvidou do conhecimento proveniente dos sentidos, após criar o argumento do sonho, que afirma não termos certeza sequer se vivenciamos a realidade ou estamos em um sonho.

D) Descartes utiliza a dúvida do conhecimento dos sentidos, como um artifício psicológico, para deixar o nosso espírito sempre alerta aos conhecimentos aparentemente verdadeiros.



15.  A sequência correta das etapas do exercício filosófico da Dúvida Metódica é:

A)Argumento do erro dos sentidos, argumento do sonho, argumento do gênio maligno, argumento do deus enganador e cogito.

B)Argumento do sonho, argumento dos sentidos, argumento do gênio maligno, argumento do deus enganador e o cogito.

C)Argumento do erro dos sentidos, argumento do sonho, argumento do deus enganador, cogito e argumento do gênio maligno.

D)Argumento do erro dos sentidos, argumento do sonho, argumento do deus enganador, argumento do gênio maligno e o cogito.



16.  O que é o Cogito de Descartes?

A)É a Dúvida Metódica, compreendida por ele como um conhecimento indubitável, isto é, inquestionável.

B)É o argumento do erro dos sentidos, que afirma ser o indivíduo capaz de equívocos quando se baseia na experiência sensível para conhecer a realidade.

C)É o argumento do deus enganador, que supõe que um ser superior seja capaz de fazê-lo crer em conhecimentos falsos, mesmo que pareçam óbvios e evidentes.

D) É o resultado proveniente da Dúvida Metódica. Descartes chega ao cogito depois de um exercício filosófico que passou pela dúvida do conhecimento sensível, da sua própria existência, da possibilidade de engano do conhecimento racional. O filósofo chega ao cogito, ao concluir que, se pode duvidar do que acredita existir, é porque pensa, e se pensa, existe.



17.  Descartes empregou um método universal para o conhecimento. Qual das seguintes alternativas está em desacordo com o método cartesiano?

A)Nada pode ser aceito como verdade mesmo quando reconhecido como tal.

B)Deve-se dividir os problemas em tantas partes quanto possível.

C)A reflexão deve seguir uma ordem definida, começando com o que for mais simples.

D)Deve-se ter certeza de que tudo foi examinado, sem omissões.



18.  Descartes desenvolve o argumento que supõe a existência de uma divindade que tudo pode e por quem foi tudo foi criado. Esse deus poderia nos enganar, fazendo-nos acreditar em uma realidade diferente da verdade. A este argumento damos o nome de:

A)Argumento do erro dos sentidos.

B)Argumento do gênio maligno.

C)Argumento do deus enganador.

D)Argumento da racionalidade.



19.  São exemplos de ideias inatas:

A)Ideia de infinito e conceitos matemáticas.

B)Ideia de frio e calor.

C)Ideia de unicórnios e monstros.

D)Ideia de sentimentos e sensações.



20.  São exemplos de ideias fictícias:

A)Ideia de infinito e conceitos matemáticas.

B)Ideia de frio e calor.

C)Ideia de unicórnios e monstros.

D)Ideia de sentimentos e sensações.



21.  São exemplos de ideias adventícias:

A)Ideia de infinito e conceitos matemáticas.

B)Ideia de frio e calor.

C)Ideia de unicórnios e monstros.

D)Ideia de sentimentos e sensações.



22.  As ideias que nos chegam através dos sentidos e da experiência, Descartes denomina:

A)Fictícias.         B)Inatas.

C)Adventícias.       D)Verdadeiras.



23.  Ideias provenientes da nossa imaginação, uma combinação de imagens fornecidas pelos sentidos e retidas na memória cuja combinação nos permite representar (imaginar) coisas que nunca vimos:

A)Adventícias.       B)Fictícias.

C)Inatas.            D)Falsas.



24.  Ideias que Descartes diz terem nascidas conosco. São claras e distintas, não são inventadas por nós, mas produzidas pelo entendimento sem recurso à experiência. Representam as essências verdadeiras, imutáveis e eternas, razão pela qual servem de fundamento a todo o saber científico:

A)Adventícias.       B)Fictícias.

C)Inatas.               D)Verdadeiras.



25.  Para Descartes, uma ideia duvidosa era aquela que:

A)Que se apresenta de forma clara e distinta ao espírito humano.

B)Que se torna inconsistente perante o argumento do gênio maligno.

C)Que não resiste ao argumento do Deus enganador, presente no exercício da dúvida metódica.

D)Não passa totalmente pelo crivo da razão. Isto é, pelo critério da evidência (clareza e distinção).



26.  Para Descartes, o que é um conhecimento indubitável?

A)É um conhecimento de tal modo distinto e claro (evidente)que dele não se pode duvidar.

B)É um conhecimento que provoca dúvidas quanto a sua veracidade.

C)É um conhecimento incapaz de resistir ao exercício da dúvida metódica.

D)É um conhecimento proveniente dos sentidos.



27.  “Jamais acolher alguma coisa como verdadeira que eu não conhecesse evidentemente como tal; isto é, de evitar cuidadosamente a precipitação e a prevenção, e de nada incluir em meus juízos que não se apresentasse tão clara e tão distintamente a meu espírito, que eu não tivesse nenhuma ocasião de pô-lo em dúvida.” [DESCARTES, R. Discurso do método. p. 37]. O critério utilizado pelo filósofo para verificar se os conhecimentos eram verdadeiros era:

A)O critério da evidência.

B)O critério da prevenção.

C)O critério da dúvida.

D)O critério dos sentidos.



3 comentários:

Postar um comentário

Comentem!